Tiago Beetz e Livia Fernandes

tiagobeetzliviafernandesfot

NOME: Tiago Beetz e Livia M. Fernandes

ESTADO: Paraná

PROFISSÃO/ATUAÇÃO NA CERVEJA: Tiago é tecnólogo em eletrônica e beer sommelier. Livia é bancária. Ambos também são cervejeiros caseiros, participantes do Beer Judge Certification Program (BJCP) e criadores da marca Tormenta, que tornou-se comercial em 2013.

*

1) Melhor Ale produzida no Brasil

A melhor cerveja de 2013 é a Hoppy Day, da Tormenta, por motivos óbvios. Nós que fizemos a receita e cuidamos de cada detalhe para que tudo saísse exatamente como queríamos. IPA americana não tem caramelo. Não tem base carregada de malte. IPA americana tem lúpulo, refrescância, citricidade. E essa cerveja é assim, com alta drinkabillity. Fizemos o que gostamos de beber, e na nossa opnião o que vale é o prazer que cada gole pode proporcionar. E quer prazer maior do que encher um copo com tudo aquilo que você idealizou? Cheers.

2) Melhor Lager produzida no Brasil

Jan Kubis, da DUM. Uma Ale que virou Lager e ficou perfeita. Refrescante, é uma cerveja para o dia a dia.

3) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil

Com certeza uma das mais marcantes de 2013 foi a Imperial Stout Even More Jesus da Evil Twin Brewing, uma cerveja para tomar com calma e apreciar cada momento dela, viscosa a ponto de quase não deixar a carbonatação desprender para formar a espuma. Notas de café e chocolate amargo combinadas com a potência do álcool, tipo uma porrada no peito. Uma ótima cerveja.

4) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil

Mikkeller American Dream, uma cerveja leve, refrescante, aromática, levemente amarga e perfeita para o dia a dia.

5) Melhor chope nacional ou estrangeiro à venda no Brasil

Holy Cow, da Seasons, que tivemos oportunidade de provar fresquíssimo no IPA Day da Acerva Gaúcha, em abril deste ano. Uma parceria dos nossos amigos gaúchos com a californiana Green Flash que deu super certo. Uma delícia on tap.

6) Melhor bar cervejeiro nacional

Cervejaria da Vila. Foi o primeiro lugar que começamos a frequentar com o intuito de conhecer novos rótulos. É o bar a que vamos quase toda semana. Foi o lugar escolhido para a festa de lançamento da nossa cerveja. Temos certeza de que todas as cervejas que moram lá são tratadas com o devido carinho e cuidado, sem contar que foi pioneiro em Curitiba na formação de uma legião de apaixonados por cerveja.

7) Melhor cerveja caseira

A melhor cerveja caseira do ano foi uma Flanders Red Ale dos amigos da Moonshine (Rafael David, Marco e Rubens). A escolhemos por vários motivos: pelo tempo e cuidado com a cerveja que foi feita em fevereiro de 2012 e tomada em outubro de 2013 (1 ano e 8 meses cuidando de uma cerveja é uma paciência que poucos caseiros têm). Outro motivo é que é um estilo difícil que poucos se arriscam a fazer e, por fim, pelo altíssimo nível que a cerveja atingiu (não fica devendo nada a nenhuma produzida na própria Bélgica).

8) Melhor cerveja que ainda não chegou ao Brasil

Uma West Cost IPA chamada MONGO, da cervejaria californiana Port Brewing, adquirida pelo amigo André Junqueira. Tratas-se de uma IPA clara, muito seca (até um pouco salgada), com um aroma lupulado que lembra laranja, abacaxi e pinho. Mas o que mais chamou a atenção foi o altíssimo amargor, devido ao corpo leve que a cerveja tem. Os amantes de cerveja equilibrada que me desculpem, mas um amargor forte como esse e sem amarrar na boca depois de tomá-la são poucas cervejas que conseguem oferecer.

9) Melhor blog ou site cervejeiro

All Beers. Parabéns Rapha pelo trabalho sério há tantos anos no universo da cerveja. É um blog com bastante material que sempre está ligado nas novidades e acompanhando os eventos cervejeiros pelo País.

10) Melhor rótulo de cerveja, nacional, importado ou caseiro

Vamos usar esse espaço para parabenizar o nosso designer Fernando Zarpelon pelo cuidado, paciência e criatividade ao desenhar nosso rótulo da Hoppy Day. O resultado ficou perfeito e, mesmo antes de as pessoas abrirem a garrafa, recebemos vários elogios pela arte.

11) Melhor evento cervejeiro nacional

Sem dúvida o Festival Brasileiro da Cerveja de Blumenau é o melhor evento cervejeiro nacional. Os caras dão um show de organização, não esfolam ninguém na hora de locar o stand e não cobram porcentagens abusivas dos participantes. Muitos oportunistas enxergam na cerveja uma forma de fazer dinheiro fácil. Assim, surgem vários eventos que só utilizam a cerveja como forma de atrair público e não se preocupam em fazer algo que orgulhe os cervejeiros. Blumenau é o maior encontro de cervejeiros de peso do ano, é uma oportunidade de renovar os laços de amizade, de conhecer os lançamentos de rótulos, de aprender sobre cerveja…

12) Novidade do ano

Não dá para não citar a quantidade de rótulos legitimamente brasileiros que foram disponibilizados no mercado esse ano. Muitas pessoas, assim como nós, conseguiram sair da informalidade e firmaram suas marcas. Hoje vivemos num cenário em que várias cervejas brasileiras não devem nada para muitos rótulos famosos e importados. E esse é só o começo da história. Que venham novas marcas, novos rótulos, novas receitas. Em um estrangeirismo patriótico, podemos dizer sempre: “Support your local brewery”.

13) Melhor fato cervejeiro

O nascimento da Liga das Cervejas Extraordinárias. Uma possibilidade de viabilizar o sonho de vários caseiros que, unidos e terceirizando sua produção, conseguiram se legalizar, legitimar e encurtar o caminho da panela ao consumidor. É um modelo totalmente viável, que assim como a Cervejaria Inconfidentes, pode ser reproduzido. Juntos somos muito mais fortes e o céu não é o limite.

14) Pior fato cervejeiro

Acho que o pior fato cervejeiro ainda é o egoísmo e o oportunismo. Gente que não consegue entender que ainda não somos nada nesse mercado dominado por gigantes e que insiste em andar sozinho. Gente que não é solidária, que não divide conhecimento, que não ajuda no desenvolvimento do meio cervejeiro, que não cumpre a palavra e só quer explorar. Quem não se reinventa, quem não se abre a novos sabores e novas experiências só porque aprendeu a fazer daquele jeito quadradinho. Quem quer se dar bem e ganhar dinheiro em cima dos outros. Quem quer só surfar a onda e não entende nada de cerveja. Quem finge que entende só para ter mais dinheiro, mas não se preocupa em se atualizar, estudar, conhecer e provar. Quem quer abraçar o mundo com as pernas sempre se dá mal, e com a cerveja não é diferente.

15) Previsão cervejeira para 2014

Que mais pessoas venham para o lado negro da força, que dias mais felizes sejam acompanhados de cervejas melhores, que mais rótulos sejam lançados, que mais bares sejam abertos, que mais torneiras ligadas diretamente às câmaras frias estejam a disposição dos bebedores, que a burocracia cervejeira e os impostos sobre a bebida diminuam, que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) fique cada vez mais acessível, que mais paneleiros sejam iniciados à arte de produzir cerveja em casa, que mais pessoas tenham acesso a fermento líquido de boa qualidade, que o império da mesmice diminua a cada dia, que cada um possa conquistar seu espaço no cenário cervejeiro, que lutemos juntos para todos podermos beber melhor.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s