Marcio Beck

marciobeckfot

NOME: Marcio Beck

ESTADO: Rio de Janeiro

PROFISSÃO/ATUAÇÃO NA CERVEJA: Jornalista de O Globo, autor do blog A Volta ao Mundo em 700 Cervejas, cervejeiro caseiro e palestrante sobre cervejas

*

1) Melhor Ale produzida no Brasil

Petroleum, da DUM/Gauden Bier. Sou entusiasta desde a primeira que bebi, ainda na versão de panela, de garrafinha gorducha sem nome nem rótulo, apenas com a perfuratriz pintada no vidro. Menção honrosa para a Colorado Ithaca.

2) Melhor Lager produzida no Brasil

Triplo empate: Coice, da Coruja, Amburana Lager, da Way, e Double Vienna, da Morada. Todas apresentam sabores bastante intensos, na direção contrária do senso comum em torno da Lager.

3) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil

Gouden Carolus Cuvée Van der Kaiser Blauw. Fundamental ter – sempre que possível, claro – uma garrafa dela envelhecendo.

4) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil

A simplicidade máxima é a sofisticação máxima, ainda com o peso da tradição: Weihenstephaner Original Münchner Hell.

5) Melhor chope nacional ou estrangeiro à venda no Brasil

Ola Dubh 18. Excelente.

6) Melhor bar cervejeiro nacional

Não frequento bares cervejeiros, à exceção de alguns eventos.

7) Melhor cerveja caseira

A Black Anthrax, do cervejeiro Marlos Monçores, vencedora do concurso da Acerva de Niterói, do qual tive o prazer de participar como julgador. Uma fantástica Imperial Coffee Stout de 17%, com melaço, rapadura, café Arábica de torra clara, maturada com cubos de carvalho e baunilha em rum. Sem vergonha do cabotinismo, incluo a Cuvée do Cramulhão, um extreme barleywine de 18%, com seis maltes, seis lúpulos e seis leveduras, um mix de pimentas e temperos, maturada com chips de carvalho e sassafrás, que produzi com o Daniel Conde Perez, também integrante da AcervA Carioca e agora ex-colaborador do meu blog.

8) Melhor cerveja que ainda não chegou ao Brasil

Dogfish Head Theobroma. Deliciosa integrante da coleção “Ancient Ales” da Dogfish, inspirada nos astecas. Se chegar aqui, o preço vai ser nas alturas, infelizmente.

9) Melhor blog ou site cervejeiro

Se tivesse um site ou blog cervejeiro favorito mesmo, que julgasse de leitura indispensável, acho que nem teria criado o meu. Estou bastante satisfeito com o trabalho que realizo em A Volta ao Mundo em 700 Cervejas.

10) Melhor rótulo de cerveja, nacional, importado ou caseiro

O que vi de mais diferente nos últimos tempos, que mais me chamou a atenção, foi o da Double Vienna, da Morada. Simples, elegante e com o detalhe atraente do ambigrama.

11) Melhor evento cervejeiro nacional

Festival Brasileiro da Cerveja, em Blumenau, pelo conjunto da obra.

12) Novidade do ano

A realização do Mondial de La Biére no Rio de Janeiro. Uma aposta arriscada que parece ter vingado, apesar de quase ter sido prejudicada por problemas logísticos de última hora. Já tem edição assegurada no próximo ano, segundo os organizadores.

13) Melhor fato cervejeiro

A realização dos dois encontros do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) com os cervejeiros, com o objetivo de orientar a consulta pública para mudança da legislação cervejeira do Mercosul. Diversas sugestões dos artesanais foram aceitas pelos técnicos do Mapa e devem figurar no texto para consulta. Um gesto simples, mas significativo, e que ajuda ainda a desmistificar a visão conspiratória de que existe uma “ditadura das grandes” para que não haja alterações que favoreçam os pequenos produtores.

14) Pior fato cervejeiro

Os preços cada vez mais elevados – às vezes escabrosos – de algumas cervejas que chegam ao mercado brasileiro. Um kit da Westvleren XII com 6 garrafas e duas taças, que não vale mais de 30 euros (100 reais) na Europa, por 1,5 mil reais, ou seja, quinze vezes mais, 1.500% de ágio. Uma IPA alemã que custa 15 euros (45 reais) por 450 reais, dez vezes mais, 1.000% de ágio. E a campeã, uma IPA americana cujo pack com 12 garrafas de 330 ml é vendido a 14 dólares (ou seja, 1,15 dólar por garrafa, ou 2,80 reais), sendo encontrada no Brasil a 72 reais pela garrafinha, ágio de 2.300%. São casos que não podem ser encarados com naturalidade.

15) Previsão cervejeira para 2014

Cervejarias artesanais brasileiras vão lançar mais colaborativas com estrangeiros, mais bandas lançarão cervejas sem personalidade nem ligação com o movimento artesanal, mais bares repletos de torneiras surgirão, os preços vão continuar a subir… fora isso, minha taça de cristal está um pouco embaçada, não dá pra ler muita coisa na névoa do belgian lace.

Advertisements

One thought on “Marcio Beck

  1. Pingback: Jan Kubis: a melhor lager de 2013* | DUM Cervejaria

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s