Daniel Ropelato

danielropelatofot

NOME: Daniel Vilmar Ropelato. Também respondem à enquete Diogo Henrique Ropelato e Helena Deschamps.

ESTADO: Santa Catarina

PROFISSÃO/ATUAÇÃO NA CERVEJA:  Daniel é administrador de empresas, Diogo, designer gráfico e Helena, estudante de Arquitetura. Os três trabalham na Nanocervejaria caseira Drei Adler, em Blumenau

*

1) Melhor Ale produzida no Brasil

Amazon Beer Pripioca Red Ale, muito boa cerveja. Mesmo tendo percorrido uma grande distância manteve sua expressiva qualidade. Notas da raiz de priprioca harmonizaram perfeitamente com o estilo Red Ale de notas de malte caramelo presente, baixos ésteres, mas nada extremamente dominante.

2) Melhor Lager produzida no Brasil

Baden Baden Celebration Inverno Doppelbock. Sem muito o que comentar sobre está ótima cerveja, mas ainda acho que nosso País tem muito a melhorar em questão de Lagers de qualidade.

3) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil

Adoro a Boon Oude Gueze Mariage Parfait. Ok, muitos não chamarão está cerveja de Ale, mas sim de “Lambic/Gueze”. Mas, como não tem uma categoria exclusiva destes estilos, fico com ela na categoria Ale. Sem dúvida uma cerveja impressionante, tomo ao menos uma todo ano e cada vez mais me impressiono com ela. Inclusive já tomei “rolhada” devido à altíssima carbonatação desta cerveja (heheheh). A complexidade dela, impressionantemente oriunda de ingredientes simples, deixa qualquer fã de cervejas funkys babando.

4) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil

Einbecker Ur-Bock Hell, e que cerveja! Sabor limpíssimo sugerindo uma longa maturação a baixas temperaturas, além de ausência de esteres frutados, somado a tudo isso associado, um aroma/sabor de lúpulos alemães maravilhoso. Interessante beber uma cerveja que você esperava ser pouca coisa e se surpreender.

5) Melhor chope nacional ou estrangeiro à venda no Brasil

Fico com o Fuller’s ESB, que nos impressionou ainda mais na pressão. Se na garrafa a cerveja já é excelente, imagine em chope, vale o preço elevado cobrado por aqui. Muito caramelo sem deixar para trás o amargor e o aroma tradicional de lúpulos ingleses.

6) Melhor bar cervejeiro nacional

Tive a oportunidade de conhecer o Lagom Pub em Porto Alegre, bar estilo pub inglês muito interessante, misturando música ambiente (rock!) com mobília escura e luz baixa. Mas mesmo com a música perceptível ainda era possível manter uma conversa em bom tom. Atendimento excelente e boa carta de cervejas de produção própria. Mas o que chamou a atenção foi a união das microcervejarias locais, pois o bar ainda contava com várias torneiras de cervejas convidadas, todas da região da Grande Porto Alegre, mostrando que existe espaço, amizade e participação para todos.

7) Melhor cerveja caseira

Fico com uma receita relativamente simples, mas difícil de se equilibrar, a Witbier campeã do Concurso Estadual da Acerva Catarinense de 2013, produzida pelos amigos Giovani Testoni e Douglas Merlo. Condimentado ideal, equilibrado com toque de coentro e cítrico de casca de tangerina.

8) Melhor cerveja que ainda não chegou ao Brasil

Almanac Barrel Noir, uma American Strong Ale sendo 50% American Imperial Stout e 50% Belgian Dark Ale maturada em barril de bourbon, extremamente equilibrada, com notas de baunilha, café, chocolate, adocicado na medida, assim como o amargor equilibrado, balanço perfeito.

9) Melhor blog ou site cervejeiro

Sem querer puxar para o lado do entrevistador, mas o Blog do Bob era excelente, e que bom que retornará (com outro nome, penso eu?). Mas fico com nosso guia na produção de cervejas, principalmente as Belgian Sours e funkys afins que adoramos fazer, apesar de pouco conhecido. Mad Fermentationist do ilustríssimo Michael Tonsmeire. http://www.themadfermentationist.com/

10) Melhor rótulo de cerveja, nacional, importado ou caseiro

Ficamos com o rótulo em vinil recortado da DUM Pretroleum caseira, o pessoal de Curitiba está de parabéns, impressiona qualquer um!

11) Melhor evento cervejeiro nacional

Festival Brasileiro da Cerveja, que, apesar de ter perdido a participação dos cervejeiros caseiros (que foram quem impulsionou o festival em âmbito nacional), manteve uma ótima variedade de cervejarias participantes e está cada ano maior.

12) Novidade do ano

Quantidade de prêmios nacionais e internacionais recebidas por cervejarias brasileiras. Dentre elas podemos citar Bamberg, Bodebrown, Bierland… e por aí vai. Isto demonstra nosso potencial, qualidade e empenho na produção de cervejas de qualidade.

13) Melhor fato cervejeiro

A expansão dos cervejeiros caseiros produzindo cervejas em cervejarias. Adoramos ver essa movimentação e o desenvolvimento de grandes receitas com muito potencial de mercado.

14) Pior fato cervejeiro

O preço abusivo de praticamente todas as cervejas nacionais e importadas. Ok que o Brasil é um País caro, mas por que no exterior pagamos U$1,99 por uma long neck e a mesma cerveja aqui custa cerca de R$20/R$25? Este é um dos grandes motivos de se produzir cerveja caseira.
Outro fato a levantar é a qualidade dos lúpulos importados para o Brasil, péssima. Tive a oportunidade de utilizar lúpulos vindos diretamente dos EUA, mantidos refrigerados, e me impressionei como os lúpulos aqui disponíveis estão em má condições.

15) Previsão cervejeira para 2014 

Desenvolvimento constante do setor cervejeiro artesanal, principalmente na área de cervejas “exclusivas”, pois além de trabalhar com ingredientes diferenciados/especiarias, o público está cada vez mais propenso a pagar para tomar algo exclusivo, mesmo que isto custe um bocado a mais no Brasil. E caso alguma cervejaria artesanal se interesse fica o convite: linha Drei Adler Sours, nossas cervejas dos estilos Sours (Lambics, American Sours, Lambics com frutas, Flanders Red/Brown Ales maturadas com carvalho, cervejas com Brettanomyces spp, maturadas no mínimo 6 meses!) disponíveis comercialmente. Alguma cervejaria artesanal quer arriscar? Apostamos que é um caminho sem volta para aguçar o paladar “azedo” dos necessitados, querem apostar? Fica o convite!!

(nota do blog: deixarei passar o momento “Merchan Neves” dos nobres porque também tenho curiosidade em ver algumas receitas da Drei Adler em escala de microcervejaria. Mas da próxima vez sejam mais sutis na formulação… rs)

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s